“Por tudo o que é bonito e faz tão bem para mim e para um monte de gente”

Já faz dias que estou para escrever sobre o tédio e a beleza da vida.

E de repente uma crônica, um post de uma professora, pessoa super querida, me inspirou (@Marcella Lopes Guimarães), aliás é dela o título, e se a crônica um dia virar livro, o post terá uma nota de rodapé…

Ao falar apressadamente, em meio a correira do seu dia a dia,  de uma flor vermelha  (que para mim ganhou cheiro de cereja), e que foi colhida com tanta banalidade e jogada ao chão, o que me impressionou no seu relato não foi o fato de um rapaz ter cortado a flor sem propósito e romance algum. O que me impressionou foi uma pessoa no meio de tanta burocracia, que saiu de casa para  pagar contas no banco, perceber que no meio do caminho tinha uma flor, e que de fato tinha uma flor no meio do caminho.

E o que eu queria dizer há tanto tempo é mais ou menos isso, a percepção saborosa da vida e das coisas tão mais lindas.

Um sábado destes, no meio do tédio, porque sim, em Barcelona também há tédio, afinal, há vida…

Num dia tão entediante, ao menos para mim, o Marco (que não é do tédio), inventou um programa tão simples e que de tão simples quase recebeu um não de resposta. Mas, fato é, que fomos ao  Parque Del Guinardó.

E só por ter dito “sim” ao passeio,  ganhei a primavera!

E essa é a trilha do post:

_MG_8506

 

E vou tentar descrever a trilha do dia…

Ao subimos uma escadaria ouvíamos um só ritmo: um martelo numa pedra.

Ao chegarmos no topo, percebemos que o som vinha de um senhor de mais de 80 anos, que subiu uma montanha, para achar o seu lugar ao sol (porque o lugar ao sol não tem idade e nem hora do dia, pode ser inclusive ser no caminho do banco), e nesse lugarzinho ao sol,  esse senhor decidiu simplesmente sentar e quebrar os seus nozes…

_MG_8491

 

Para mim, essa visão, essa foto, já foram os maiores presentes que eu poderia ganhar no dia.

Mas a vida consegue ser mais perfumada,  ao passarmos ao lado desse senhor, tão compenetrado na sua escolha do dia (quebrar nozes), ele nos percebeu!

Acho que quem vive “no estrangeiro” sabe que quase nunca somos percebidos, talvez porque não partilhemos os mesmo códigos sociais, ou apenas falo isso porque eu seja uma estrangeira emotiva  ou carente demais…

Uma estrangeira que foi surpreendida na sua “curitibanice”, que junto com um bom dia recebeu um punhado de nozes e afeto…

_MG_8493

 

Confesso que não soube como receber esses nozes, não sabia se abraçava o vôzinho, se pedia para ele abrir os nozes pra mim (o que seria abuso demais), se fotografava o momento, sei que foi muita surpresa, e tudo o que pude fazer foi dar um grande sorriso e soltar um “Gracias”.

_MG_8497

Gracias,  a vida que de repente, fez do simples o bonito, que fez tão bem para mim…

E que desejo de todo o coração, que faça o bonito pra ti também!

Que no meio da sua correria, do seu tédio, você ainda possa sentir o perfume das flores vermelhas ou o sabor dos nozes!

 

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Janira disse:

    Um simples e carinhoso beijo para minha Flor preferida. Saudades de acabar com nosso tédio em nossos encontros em sua casa. Mas eu aguento! Aproveite o que esta bela cidade ainda tem para oferecer a você.

  2. mademoiselleutfpr disse:

    Que lindo post, Perlita! São raras as pessoas que percebem a beleza na simplicidade do dia a dia! Beijão, felicidades!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s